Entrevista com o Grande Knuttz

Eu tive a oportunidade de entrevistar o Gilberto “Knuttz” Soares Filho, um cara que largou o seu curso de direito em 2004 para se dedicar totalmente a Web e hoje é dono do Ueba e do PicFlow e mantém um blog chamado Cyber Vida alem de ser co-autor do Autozine, ele é bastante conhecido na internet e bastante humilde, me tratou super bem e acho que ele merece todo sucesso do mundo.

Quem é o “Knuttz“, e porque esse nick?

Sou um cara de 37 anos, casado e pai de um filho, e que adora o que faz. Sou um curioso profissional que decidiu no final da década de 1990, que viveria de internet. Apesar de não ser da “geração y”, mau pai sempre foi aficionado por tecnologia, o que me permitiu um convívio com computadores desde muito cedo, o primeiro micro da minha casa foi comprado em 1980, a primeira vez que entrei online, no Cirandão foi por volta de 1985 ou 1986, não lembro ao certo. O apelido vem do tempo dos jogos online, lá por volta de 2000, e é uma corruptela da gíria inglesa “nuts” (louco), ou seja, apesar de muitos dizerem “Canutiz” é simplesmente “nutz;)

Você é o criador do Ueba, como surgiu a idéia e qual foram as dificuldades

A idéia do Uêba não é original, existe um site norte-americano chamado Fark.com, eu apenas trouxe a estética, que é um grande filtro que extraí do ruído existente na internet, o conteúdo mais interessante. Na realidade eu cheguei a falar com o Drew Curtis, dono do site, com a intenção de licenciar o script dele, mas não rolou. Então com a ajuda de dois amigos, o Marcelo Bezerra e o Rodolfo Sikora (@sikora), eu converti uma instalação do PHP-Nuke para o que eu queria ver funcionar. Então a grande dificuldade foi aprender a programar na marra, por outro lado, isso me propiciou a desenvoltura para mais adiante desenvolver um sistema proprietário que torna o Uêba um site extremamente eficiente. Atualmente o Uêba é gerenciado por mim, com o auxílio de vários scripts que automatizam parte do trabalho ;) Mas eu pretendo adicionar gente à equipe ainda este ano.

Como funciona o Ueba?

Eu não posso falar do funcionamento integral, mas posso dizer que sobre os links enviados, atuam pelo menos 4 sistemas automatizados e independentes, nenhum deles, aprova ou rejeita links automaticamente, eles me ajudam. Sobre 3 não falo, mas posso dizer que o quarto faz uma busca na base de dados procurando por conteúdo semelhante previamente publicado, o que ajuda muito a redução deste tipo de ocorrência. No processo de aprovação a primeira coisa que eu faço é filtrar os links que apontam para raiz de site, assim posso eliminar de imediato links que não levem para conteúdo, coisa do tipo “visitem meu blog ele é muito legal”. Em seguida é feita uma leitura para eliminar, sem analise de conteúdo, links com títulos desleixados (erros muito grotescos de português, ou com descrição que tenha palavras cortadas). O terceiro passo é analise individual de conteúdo, neste ponto, quando o conteúdo tem notícia ou informação, eu procuro por fontes que corroborem o que está no texto, já que seria impossível fazer fact check de cada link. Tudo que tiver notícia/informação sem fonte, e grande parte do conteúdo repetido é eliminado neste passo. E o último passo é aprovar tudo, apontando a publicação na capa ou no side blog.

Muitos reclamam de “panelinha” no Ueba, qual dicas você dá para essas pessoas conseguirem ter seu link publicado?”
A “panelinha” do Uêba é formada por pessoas que entendem o funcionamento do site, que sabem que links com notícias/informações sem fontes não serão publicadas, ela é formada por pessoas que acompanham o site, e sabem o que já foi ou não publicado, já que um dos pontos de honra do site é esforçar-se ao máximo para não publicar conteúdo duplicado, também sabem que o site tem um determinado controle de qualidade que não publica link para fofoca de celebridade e afins.
A dita “panelinha” é formada por pessoas de bom senso que entendem que o Uêba serve, em primeiro lugar, à sua audiência, ao seu público, e tem como um feliz efeito colateral enviar tráfego aos produtores de conteúdo. Sabe o que é mais curioso? É que eu não conheço ou conhecia muitos dos que enviam links, antes deles começarem a enviar links, e vários, só vim a conhecer por conta do Twitter.
É justamente por isso que a minha resposta padrão, quando alguém me agradece por um link publicado, é que “não precisa agradecer”, se eu publiquei, é porque acredito que minha audiência gostará do conteúdo, então o mérito é inteiramente de quem o produziu, eu que agradeço pelo envio de conteúdo de qualidade e que não tenha sido publicado (pelo menos recentemente).

Você é bastante querido na internet, em 2008 seu irmão criou o “#knuttzday” para comemorar seu aniversário, como foi para você saber que é tão prestigiado na internet?
Eu acho que é uma soma. Primeiro de tudo não sou egocêntrico nem megalomaníaco, até já disse a amigos que no dia que eu fizer qualquer referência a mim mesmo em terceira pessoa, por gentileza, me dêem uma surra. Segundo porque eu mantenho uma política de portas abertas, e sempre dou o benefício da dúvida, ou seja, trato bem até que tenha motivos para o contrário. Acho que no demais é uma questão de personalidade e caráter mesmo, sou adepto da Navalha de Occam, e não complico o que pode ser simples. E prezo muito, muito, meus amigos.

Alem do Ueba, você mantem também outros sites, quais são eles?
Cybervida.com.br onde escrevo posto principalmente tecnologia e arte, Autozine.com.br um site sobre automóveis em que sou co-autor, picflow.net onde publico fotos colhidas no Twitter, e mais alguns sites em inglês, como o Ueba.net e o knuttz.net

De um tempo pra cá, o que você acha que mudou na Internet?
Como te disse esta é uma pergunta muito ampla, logo, complicada de responder com objetividade. Mas, talvez, a principal mudança foi o perfil do usuário, a cada dia que utiliza mais as diversas ferramentas que tem a disposição, indo além do trivial básico.

Obrigado pela entrevista, aqui fica um espaço livre para você poder falar o que desejar.
Opa, gostaria de agradecer o espaço, te desejar sucesso, e dizer aos teus usuários que não deixem de visitar o Uêba ;-) lá, todos dias, publicamos a melhor seleção de links da internet tupiniquim.

Aos editores, que querem ver seus links emplacados, duas dicas para ajudar:
1. Leiam o FAQ do site, ou pelo menos as dicas de postagem na página de envio
2. Acompanhem o site, vejam o que é normalmente publicado, entendam a lógica de publicação que é o caminho para emplacar conteúdo no site.

Quero agradecer ao Knuttz pela entrevista e espero que todos gostem!

Quem escreve

Apenas mais um estudante metido a blogueiro metido a jornalista :)